Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Desmontando as falácias do vídeo golpista de Randolfe na casa de Caetano

Reinaldo Azevedo

2031-05-20T17:16:32

31/05/2017 16h32

Ah, como é doce a irresponsabilidade!

Circula um vídeo em que o senador Randolfe Rodrigues (Rede-RJ) faz considerações sobre a necessidade de derrubar o presidente Michel Temer. Segundo ele, Temer tem de cair antes do dia 26 de junho. Por quê? Essa é a data em que uma entidade sindical chamada "ANPR" (Associação Nacional dos Procuradores da República) elege a lista tríplice a ser enviada ao presidente para a escolha do futuro procurador-geral. Randolfe, que está na Rede, mas continua a atuar como um psolista, está dando a sua aulinha na casa de Caetano Veloso. Os presentes ouvem as suas besteiras. Caetano toca violão.

Vejam o vídeo:

Agora vamos às mentiras e tolices na fala de Randolfe:

1: é mentira que recursos tenham sido cortados no Ministério Público Federal e na Polícia Federal. Os órgãos tiveram de se adequar ao teto de gastos, como todo mundo.

2: sim, Randolfe era contra o teto. Também era contra a queda de Dilma. Também é contra as reformas.

3: diz ele sobre a escolha do procurador-geral: "Até hoje, foi respeitado o que os procuradores escolhiam". O que ele omite. E eu o desafio a provar que estou errado:

a: a eleição para a procurador-geral é inconstitucional. Não está prevista na Carta. Ela diz outra coisa no Parágrafo 1º do Artigo 128, a saber:

"§ 1º O Ministério Público da União tem por chefe o Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente da República dentre integrantes da carreira, maiores de trinta e cinco anos, após a aprovação de seu nome pela maioria absoluta dos membros do Senado Federal, para mandato de dois anos, permitida a recondução."

4: O que a constituição prevê é eleição direta para procuradores gerais dos Estados. Mais absurdo ainda: o procurador-geral da República não é chefe só do Ministério Público Federal. Ele comanda o Ministério Público da União, que é formado, segundo dispõe o Inciso I do Artigo 128, por:

I – o Ministério Público da União, que compreende:

a) o Ministério Público Federal;

b) o Ministério Público do Trabalho;

c) o Ministério Público Militar;

d) o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios;

5: vocês sabiam que os membros das demais esferas não podem nem votar nem ser votados? É a ditadura inconstitucional do MPF sobre o MPU.

6: Diz Randolfe, com sua ligeireza estridente: "Até hoje, foi respeitado quem os procuradores escolheram"… Mentira. Isso começou em 2003, quando a ala petista do Ministério Público Federal resolveu duas coisas:

I: das um golpe nos demais setores do MPU;

II: arrancar do "companheiro" Lula o compromisso de nomear alguém escolhido pelo sindicato.

7: Janot sempre foi ligado a essa área petista. A impressão que os incautos tinham até anteontem é a de que ele era o algoz do PT. Olhem para a política e vejam o que ele promoveu. Na prática, absolveu o PT ao botar todo mundo no mesmo saco.

8: É uma falácia, uma fraude intelectual e uma afronta o sr. Randolfe afirmar que, sem Janot, não existe mais Lava Jato. Mais: onde já se viu um senador da República achar uma maravilha que o procurador-geral se coloque como adversário do presidente?

9: Imaginar que a Lava Jato depende de um homem é fazer pouco caso dos outros candidatos, do povo brasileiro e da Polícia Federal.

Mas esse é Randolfe. Ele quer eleições diretas agora. Sabe que os favoritos, hoje, seriam Marina Silva, do seu partido, e Lula. Para os seus propósitos, qualquer um serve. Em qualquer dos casos, o Brasil iria para o buraco.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo