PUBLICIDADE
Topo

Reinaldo Azevedo

CROCODILE DUNDEE EM DAVOS 1: Bolsonaro vai sair de Davos menor do que chegou; com ele, Moro e Guedes. Fato: com Lula, deu-se o oposto

Reinaldo Azevedo

23/01/2019 17h22

Fórum Econômico Mundial de Davos – Mesa no centro de imprensa onde aconteceria entrevista coletiva de Jair Bolsonaro com os ministros Sergio Moro, Paulo Guedes e Ernesto Araújo – Luciana Coelho/Folhapress

Ah, os bolsonaristas vão ficar bravos com a comparação e vão me chamar, claro!, de "petista". Uma pausa: para essa turma, é "petista", "comunista", "esquerdista", eventualmente "globalista", todo aquele que não endossa alguma bobagem feita por algum membro do clã. Ou pelo quarteto, unido. Uma pausa da pausa: para acusar alguém de "globalista", é preciso ter feito o curso, sabem?, daquele filósofo amador de mistificações. Adiante. Chamem do que quiser. Fartem-se na própria bobagem. Mas o fato é Lula entrou pequeno em Davos, em 2003, na sua estreia no Fórum Econômico Mundial, e saiu de lá bem maior. O PT organizava, já então, estelionatos eleitorais em série para o eleitorado de esquerda… Elegeu-se, por exemplo, acusando o superávit primário de ser mamadeira — em formato normal, sem apelos fálicos — para banqueiro. No poder, o partido aumentou o superávit primário porque tinha de superar o déficit de confiança do mercado. No seu discurso, Lula falou da fome no mundo, da responsabilidade dos ricos, das assimetrias entre as nações etc. Em nenhum momento, por óbvio, tratou de socialismo ou qualquer outra bobagem que era, e eventualmente é, tema frequente na periferia do petismo. A íntegra do discurso está aqui. Relembro um trecho:
"Quero convidar a todos os que aqui se encontram, nessa montanha mágica de Davos, a olhar o mundo com outros olhos. É absolutamente necessário reconstruir a ordem econômica mundial para atender aos anseios de milhões de pessoas que vivem à margem dos extraordinários progressos científicos e tecnológicos que um ser humano foi capaz de produzir. Não fiquem indefinidamente esperando sinais para mudarem de atitude em relação ao meu país e aos países em desenvolvimento. Os povos, como os indivíduos, precisam de oportunidades. Os países ricos de hoje só o são porque tiveram as suas oportunidades históricas.".

O discurso foi muito bem-recebido. Sim, Lula está preso — não entro no mérito agora. Seu governo levou o país ao maior ciclo de crescimento depois dos melhores anos (para a economia) do regime militar. Dilma, a sucessora que ele escolheu, com a anuência do povo, o mandou para o buraco.

Uma coisa é certa: Jair Bolsonaro sairá de Davos ainda menor do que entrou. E, com ele, Sérgio Moro, ministro da Justiça, e Paulo Guedes, ministro da Economia. Ou se põe um freio de arrumação na política, ou as coisas se complicam…
Continua aqui.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM.

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.