PUBLICIDADE
Topo

O FIM DE BOLSONARO 5: Ou ele inventa um outro, ou inventam outro por ele

Reinaldo Azevedo

23/03/2019 08h38

Vamos ser claros? Bolsonaro está acabado. Nem três meses de governo, e ele chegou ao fim. E o "bolsonarismo"? A estupidez reacionária sempre esteve por aí. Ela se manifestava antes com modéstia porque o contexto lhe era adverso. Um conjunto de circunstâncias permitiu que viesse à tona, com tudo o que tem de trevoso e ineficaz. Mas também está em declínio.

Esse Bolsonaro que está aí não vai conseguir fazer a reforma da Previdência nem manter o governo. Ou muda ou vai para o abismo, não sem causar grandes sortilégios ao país. Se quiser continuar na cadeira, vai ter de se reinventar; vai ter de descobrir uma pauta que vá além da intenção, por ele mesmo declarada, de "desfazer" o que outros fizeram, sem que saiba o que ele próprio pretende fazer. Não sei como se vai consolidar esse fim.

Eu mesmo sugeri aqui que ele deveria encaminhar uma proposta ao Congresso instituindo o semipresidencialismo, com a escolha de um primeiro-ministro para cuidar do governo. Pode ser Rodrigo Maia. A outra possibilidade, mais complicada em muitos aspectos, é a tutela militar, no espaço do Executivo apenas, passar a ser efetiva. O generalato submete a administração a uma espécie de teste psiquiátrico, com a ajuda de especialistas, e só ficam as pessoas que não estejam, digamos, alienadas na realidade, no sentido mais antigo que tem essa palavra e que conferia aos médicos que delas cuidavam o nome de "alienistas".

O Bolsonaro que foi eleito não vai continuar a governar. Já deu errado. Ou ele inventa outro, ou inventam outro por ele.

 

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM.

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Reinaldo Azevedo