Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

IMBRÓGLIO 1: Inquérito e interdição a textos são próximos, porém distintos

Reinaldo Azevedo

2017-04-20T19:07:47

17/04/2019 07h47

Embora os casos estejam imbricados, são distintos. E conviria desfazer a confusão. A ordem expedida pelo ministro Alexandre de Moraes para que o site "O Antagonista" e a revista digital "Crusoé" retirassem do ar textos referentes a um e-mail vazado para a revista sabe-se lá por quem — ou a origem é o MPF ou é a Polícia Federal — apela a uma ordem de coisas. A investigação sobre ações orquestradas, que têm como alvo o Supremo, apela a outra. Os dois eventos estão metidos no mesmo saco de gatos pardos porque a decisão de Moraes foi tomada justamente no âmbito do inquérito, aberto de ofício, por determinação do presidente do Supremo, Dias Toffoli. Para lembrar: o vazamento se refere a uma declaração, feita pela defesa de Marcelo Odebrecht, com data do dia 3 de abril, respondendo a uma pergunta do MPF sobre quem seria o "amigo do amigo do meu pai", expressão escrita num e-mail, atenção!, de 2007. Era uma referência a Toffoli. O contexto não evidencia, sugere, aponta, acena, indica — escolham o verbo — qualquer ato ilícito. Até porque, convenham, se há coisa que transita faz tempo nos corredores da Lava Jato são as delações de diretores da Odebrecht. Qual o intuito de pinçar, agora, essa frase, encaminhar um pedido de esclarecimento e vazar a resposta contida numa declaração que, segundo a própria Procuradoria Geral da República, não integrava os autos? A resposta parece óbvia. É parte de uma orquestração que busca desmoralizar ministros do Supremo. Não é a única. Ocorre que retirar textos do ar remete sempre ao fantasma da censura.
Continua aqui

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo