Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Os preços da Petrobras, o blá-blá-blá sobre liberdade e o ouvido na pista

Reinaldo Azevedo

2017-04-20T19:06:42

17/04/2019 06h42

Nesta terça, um método de administração que se move por pressão e improviso teve a Petrobras como objeto. Paulo Guedes (Economia) e Bento Albuquerque (Minas e Energia) se reuniram com Bolsonaro para tratar da liberdade que tem ou não a Petrobras para formar seus preços. Guedes recitou: "É a Petrobrás quem decide reajuste, não é ministro da Economia ou presidente da República. A Petrobrás é realmente independente para estabelecer o preço de petróleo". Otávio Rego Barros, porta-voz da Presidência, afirmou por sua vez: "Frase que nosso presidente disse logo no início da reunião: eu não quero e não posso intervir na Petrobrás, por questões de conceito, eu não posso por questões legais e até mesmo políticas". E, no entanto, ele interveio. Há as falas, e há os fatos. Quanto à história de ser refém ou não de uma categoria, o próprio Paulo Guedes deu sua contribuição ao erro ao afirmar sobre Bolsonaro: "Uma greve [de caminhoneiros] traz problema de abastecimento, pode frear o Brasil todo, pode fazer o PIB cair mais 3%, 4%. Ele demonstrou que está com o ouvido na pista, está ouvindo a turma, está ouvindo o barulho." Se é assim, é claro que se vai pedir muito mais.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo