Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Reforma da Previdência pode ter aliança já na CCJ entre oposição e Centrão

Reinaldo Azevedo

2017-04-20T19:06:37

17/04/2019 06h37

As coisas não andam bem para o governo na reforma da Previdência. Não se conseguiu, conforme o previsto, votar o texto nesta terça. Haverá um esforço para tanto nesta quarta. Rodrigo Maia (DEM-RJ) reuniu lideranças ontem à noite com esse intuito. Os governistas acham que não conseguirão enfrentar a obstrução da oposição. Mas isso nem é o mais preocupante. Oposição e partidos do Centrão, com os quais Bolsonaro não teve até agora uma conversa digna do nome, se articulam para retirar pontos do texto já na Comissão de Constituição e Justiça: estão na mira as mudanças no Benefício de Prestação continuada, pago a idosos carentes, na aposentadoria rural, no pagamento de abono salarial e de multa do FGTS — estes dois últimos nem mesmo estão relacionados à Previdência. E também se discute matar já na origem o regime de capitalização. Se isso acontecer, a derrota já é monumental. Se não acontecer, resta claro que a Comissão Especial se encarregará dessas e de outras mudanças. Pode parecer incrível, mas, até agora, a base do governo não se organizou para a votação. Afinal, o núcleo duro do governo, incluindo o presidente e Onyx Lorenzoni, que deveria fazer a coordenação política, estavam ocupados cedendo à chantagem dos caminhoneiros e sofrendo novas ameaças. Para piorar as coisas, a decisão de corrigir o salário mínimo apenas pela inflação, sem ganho real, já se misturou à Previdência. Sim, meus caros, todos sabemos que falta dinheiro. Mas há artigo ainda mais raro hoje em Brasília: habilidade política.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo