Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Moraes fez bem em levantar interdição; defendi aqui; não era censura prévia

Reinaldo Azevedo

2018-04-20T19:21:22

18/04/2019 21h22

Fez bem Alexandre de Moraes (foto)

O ministro Alexandre de Moraes fez bem em suspender a interdição a textos publicados pela revista digital "Crusoé" e pelo site "O Antagonista".  Foi o que defendi aqui na primeira manifestação a respeito. Voltei ao assunto outras vezes. Ainda na manhã de ontem, quarta, escrevi um post que dizia o que queria já no título: "Moraes deveria levantar a interdição para evitar a contaminação". Lembrei no post, porque é fato, que não se tratava de um caso de censura prévia, que é o que a Constituição repudia. Escrevi: "A Constituição veda a censura prévia. Não foi o caso. Ainda assim, o mau cheiro permanece. Há outros instrumentos menos perigosos e, certamente, mais eficazes para conter e punir abusos."

Pronto! Essa questão está superada. E, em algum momento, com mais serenidade, haveremos de nos perguntar se, sempre afastando a censura prévia, uma publicação que nasça do crime e que tenha os próprios veículos como agentes também devem ter garantida a ampla circulação. Não estou afirmando, porque nunca sou oblíquo, que seja esse o caso; estou fazendo uma indagação em tese. E, por óbvio, não se pode descartar que esse ramo de atuação esteja imune a práticas criminosas.

Reitere-se: o vazamento que originou os textos foi criminoso. A interdição não caracterizava a censura prévia e, portanto, não agredia a Constituição. Mas, ainda assim, constituiu um erro e acabou misturando estações distintas.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo