Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

MORO NO SENADO 1: Ministro tenta se explicar. Cuidado com leituras tortas!

Reinaldo Azevedo

2019-06-20T19:08:05

19/06/2019 08h05

 

Sergio Moro: nunca antes na história deste país, um juiz se comportou com tanta desenvoltura como orientador da acusação

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, depõe hoje no Senado sobre o vazamento de diálogos seus com Deltan Dallagnol, publicados pelo site "The Intercept Brasil", que indicam que o então juiz e o ainda coordenador da força-tarefa da Lava Jato atuaram fora do arcabouço legal permitido a um magistrado e a um membro do Ministério Público. Vamos ver no que vai dar. Nesta terça, o site trouxe novas conversas. Caso as revelações de agora sejam lidas de modo equivocado — e já estou vendo isso acontecer —, os membros da Lava Jato erguerão as mãos para o céu. Tudo o que a força-tarefa quer é responder à acusação de que seus integrantes atuaram com o fito exclusivo de prejudicar o PT. Isso partidariza a questão e facilita a defesa. Bastará aos valentes provar — e não é difícil — que houve falcatruas na Petrobras e que todo o resto não passa de jogo diversionista para tirar Lula da cadeia. Perder-se-ia de vista, assim, o essencial: a operação se tornou uma máquina que atua também à margem da lei para destruir a chamada "política tradicional" e os políticos. Era e é um projeto de poder que tem no PT apenas um de seus alvos — certamente o mais vistoso, mas apenas um deles. E aí está Moro como o superpoderoso ministro da Justiça de Bolsonaro e, ainda, pré-candidato à Presidência.
Continua aqui

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo