PUBLICIDADE
Topo

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido
Seu cadastro foi concluído!
reinaldo-azevedo

Reinaldo Azevedo

mauricio-stycer

Mauricio Stycer

josias-de-souza

Josias de Souza

jamil-chade

Jamil Chade

Reinaldo Azevedo

Um dia depois, Lava Jato ofende jornalista e confirma informação negando-a

Reinaldo Azevedo

21/06/2019 16h08

Com um dia de atraso, a força-tarefa da Lava Jato resolveu responder ao post que publiquei ontem neste blog e à Informação levada ao ar neste quinta-feira no programa "O É da Coisa". Como resta evidente pelos diálogos revelados pelo site "The Intecept Brasil", o agora ministro Sergio Moro, então juiz, reclamou, no dia 13 de março de 2017, em mensagem enviada ao procurador Deltan Dallagnol, do desempenho da procuradora Laura Tessler.

Como revelei ontem, numa apuração conjunta com "The Intercept Brasil", Dallagnol repassou a mensagem para seu colega Carlos Fernando. E o diálogo de ambos deixa claro que Laura não iria participar da primeira audiência com Lula em Curitiba. O post, que foi ao ar praticamente na íntegra na rádio, deixa claro que a procuradora não foi afastada da Lava Jato. A Preocupação era a audiência com Lula, reitere-se.

A MENTIRA DA FORÇA-TAREFA
Aliás, EXPLICITAMENTE, COM TODAS AS LETRAS, O POST INFORMA:

"Laura Tessler não foi expulsa da Lava Jato. Mas não participou da audiência com Lula. Afinal, como escreveu Carlos Fernando, "no do Lula, não podemos deixar acontecer".

Pois bem: eis que a Lava Jato divulga uma nota, de uma agressividade estúpida, chamando a verdade de "notícia falsa", dizendo que "o blogueiro não checou a informação". O texto segue na íntegra ao fim do post.

Ocorre que nem no blog nem na rádio afirmei que Laura foi afastada da Lava Jato. Como se nota, fiz questão de deixar claro que ela seguia na operação. O que o diálogo evidencia é que se deu um jeito de ela não participar da audiência com Lula. Que a procuradora tivesse atuado em outros eventos da Lava Jato, bem, isso o próprio Sergio Moro já havia dito.

A tentativa de desqualificar a informação chega a ser risível, não fosse a má-fé. A publicação informa que Laura foi excluída da audiência com Lula e, para provar que seria essa uma notícia falsa, a Lava Jato apresenta a evidência de que ela participou de audiências com… Palocci!!!

Agressividade à parte, a nota do MPF:
– confirma a informação publicada;
– não nega a existência dos diálogos, recorrendo à estratégia de afirmar que o material é de "autenticidade duvidosa".

AGRESSORES DA LEI DISFARÇADOS DE MORALISTAS
Num dado momento da nota, afirma a Força Tarefa:

"Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados, evitaria divulgar movimento fantasioso de troca de procuradores para ofender o trabalho e os integrantes da força-tarefa. Como o site "The Intercept Brasil", de quem se diz parceiro, Reinaldo Azevedo, de modo tendencioso, tentou criar artificialmente uma realidade inexistente para dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato."

Errado!

Sobre a aludida parceria, o texto informa:
"A revelação da conversa faz parte de uma apuração conjunta do site "The Intercept Brasil" com este blog e com o programa "O É da Coisa", da BandNews FM".

Eu não me disse "parceiro" do The Intercept Brasil. Se acontecer, isso será tornando público.

Não faço parcerias nas sombras.  

"Mentirosa e desrespeitosa" é a nota da Lava Jato, o que não me surpreende, dados os parceiros que escolheu, como deixa clara a indústria de vazamentos em que se transformou a operação.

Ah, sim: tentar me chamar de "blogueiro" como se fosse uma qualificação ofensiva é uma tolice. Quem tem um blog é também blogueiro. Assim como é pistoleiro quem tem um veículo para fazer pistolagem política

Com 24 horas de atraso, a nota nega uma afirmação que não fiz e confirma, entre ofensas, uma afirmação que fiz.

"Mentirosa, desrespeitosa" e ofensiva, a nota do MPF confirma o post que publiquei aqui e a informação que levada ao ar no programa "O É da Coisa".

Sobre "dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato", bem, aí vai a acusação de sempre. Os candidatos a ditadores e tiranos, em seu esforço contínuo de esbulhar as leis e a institucionalidade, colavam-se sempre como arautos da moralidade.

Que se note: a Força Tarefa foi procurada antes da publicação do post e se negou a falar. Preferiu o silêncio. Vinte e quatro horas depois, aposta na ignorância de seus sectários e se sai com uma nota estúpida.

Leia a íntegra da nota da força-tarefa:
*

Força-tarefa repudia notícia falsa sobre troca de procuradores em audiência do caso Triplex

Em mais um ataque infundado à operação Lava Jato, publicação de blogueiro não checou informações básicas disponíveis em autos públicos

A força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR)vem a público repudiar notícia falsa sobre troca de procuradores em audiência do caso Triplex por meio de publicação rasa, equivocada e sem checagem dos fatos pelo blogueiro Reinaldo Azevedo.

Conforme é público, a procuradora da República Laura Tessler participou, na manhã de 13/03/2017, de audiência em ação penal em que acusado o ex-ministro Antônio Palocci (autos nº 5054932-88.2016.404.7000). Além de seguir realizando a audiência na tarde do mesmo dia, a procuradora participou de todas as subsequentes do caso, nos dias 14/03/2017, 15/03/2017, 21/03/2017, e 22/03/2017.

Como sempre, sua atuação firme, técnica e dedicada contribuiu decisivamente para a condenação, somente nesse caso, de 13 réus acusados de corrupção e lavagem de dinheiro a mais de 90 anos de prisão, incluindo o ex-ministro Antônio Palocci. Integrante da Lava Jato no MPF desde 2015, a procuradora Laura Tessler seguiu e segue responsável por diversas investigações e ações criminais, realizando todos os atos processuais necessários, incluindo audiências, contando com toda a confiança da força-tarefa na sua condução altamente profissional, cuidadosa e obstinada no combate à corrupção.

Ou seja, não houve qualquer alteração na sistemática de acompanhamento de ações penais por parte de membros da força-tarefa. Assim, os procuradores e procuradoras responsáveis pelo desenvolvimento de cada caso acompanharam as principais audiências até o interrogatório, não se cogitando em nenhum momento de substituição de membros, até porque todos vêm desenvolvendo seus trabalhos com profissionalismo, competência e seriedade.

Também como é público, os procuradores da República Júlio Noronha e Roberson Pozzobon, que participaram em 11/05/2017 do interrogatório de Lula na ação penal sobre o triplex no Guarujá (autos nº 5046512-94.2016.404.7000), foram os mesmos que estiveram presentes nas principais medidas investigatórias do caso em 04/03/2016 (como na oitiva do ex-presidente no aeroporto de Congonhas e na busca no Instituto Lula), na exposição pública do conteúdo da denúncia em 14/09/2016, e em 16 das 18 audiências judiciais do caso realizadas no ano de 2017.

Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados, evitaria divulgar movimento fantasioso de troca de procuradores para ofender o trabalho e os integrantes da força-tarefa. Como o site "The Intercept Brasil", de quem se diz parceiro, Reinaldo Azevedo, de modo tendencioso, tentou criar artificialmente uma realidade inexistente para dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

Para suas absurdas conclusões, o blogueiro usou material cuja autenticidade não foi confirmada, reforçando o aparente intuito de criar notícias às custas de publicações que distorcem supostas conversas entre autoridades, atacando o Sistema de Justiça e as instituições da República, na mesma linha do que verificado nos ataques cibernéticos. A suposta versão, que não resiste a uma mínima análise crítica diante dos fatos públicos, indica que a fábrica de narrativas político-partidárias baseadas em supostos diálogos sem autenticidade e integridade comprovadas somente leva à perda de credibilidade de quem delas se utiliza sem a devida apuração.

Todas as informações sobre as ações penais referidas podem ser consultadas no site da Justiça Federal:
a) Ação penal sobre o triplex no Guarujá: autos nº 5046512-94.2016.404.7000 (Chave eletrônica: 162567218816);
b) Ação penal envolvendo o ex-ministro Antônio Palocci: autos nº 5054932-88.2016.404.7000 (Chave eletrônica: 111718380216).

Lava Jato – Acompanhe todas as informações oficiais do MPF sobre a operação Lava Jato no site www.lavajato.mpf.mp.br

Ministério Público Federal no Paraná

Assessoria de Comunicação

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM.

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.