Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Com nação moralmente resgatada, Feliciano gasta R$ 157 mil contra bruxismo

Reinaldo Azevedo

05/08/2019 06h33

Eis a clínica em que Feliciano diz ter gastado R$ 157 mil de dinheiro público para tratar… bruxismo! (Foto: Gabriela Bilo/Estadão)

O deputado Marco Feliciano (Podemos-SP) é mesmo um pândego — para quem acha graça. Ele apresentou a conta de um tratamento dentário à Câmara, informa o Estadão, de R$ 157 mil. Candidato a, bem…, intelectual do olavismo — dos discípulos de Olavo de Carvalho —, é uma das vozes mais estridentes do reacionarismo de chanchada do país. É a voz do "Podemos" em São Paulo, o partido presidido pelo senador Álvaro Dias, outro moralista de trincar catedrais. É aquele que, durante a campanha, pronunciava o nome de Moro a cada três palavras. Vê-se agora não o fazia em vão…

Deputados têm um plano médico ligado à CEF, como informa o jornal. Cobre despesas médicas e odontológicas. Até R$ 50 mil, nem se pestaneja. Paga-se. No passado, reembolsaram-se R$ 8 milhões aos deputados. Vá lá: R$ 15.594 a cada um, na média.

Mas é que ninguém tinha a boca de Feliciano… Só com os dentes, ele multiplicou o valor por mais de 10. O pedido de reembolso foi inicialmente negado. Ele recorreu e levou.

Informa o Estadão:
O deputado reconheceu que o valor do seu tratamento ficou "caro", mas disse que encontrou orçamentos mais onerosos para os cofres públicos. "É um tratamento caro, mas foi para saúde, e não para estética. Foi para poder trabalhar. Como sou empregado, e onde trabalho há esta alternativa, eu precisava do tratamento", afirmou. "Não há crime."

Feliciano passou pelo tratamento odontológico numa clínica em Luziânia (GO), a 47 quilômetros de Brasília. "Esse é o procedimento mais avançado que a gente poderia gastar em odontologia. A gente quase que troca toda a boca da pessoa, sabe?", disse o cirurgião-dentista Max Barbosa. Responsável pelo tratamento, ele afirmou  em sua conta no Facebook que, como "dentist designer" e "mestre em implantes", é "reconhecido por criar trabalhos únicos".

"Dentro do padrão e do equipamento que a gente usa, com os profissionais que eu tive que trazer e o tempo reduzido para resolver o problema, acho que não (foi caro)", disse. "Eu considero bem razoável (o preço), apesar de saber que nem todo brasileiro faria."

Mas que diabos tinha Feliciano que resultou em tratamento tão caro? Ele responde:
Ao Estado, Feliciano confirmou o valor do tratamento dentário e disse que sofria de dores crônicas relacionadas ao bruxismo. "Não desejo para ninguém", afirmou. "Sou político e pregador. Minha boca é minha ferramenta."

Faz sentido, não? Como ele é político e pregador, o povo brasileiro tem de arcar com os R$ 157 mil de seu tratamento. Imagino o que não estarão a pensar agora os dentistas: "R$ 157 mil para curar bruxismo?" Será que ele fez cirurgia de reconstrução do maxilar?

A coisa é indecente por si mesma.

No dia em que a Câmara abriu processo de impeachment contra Dilma, Feliciano disse uma frase e tanto:
"A nação brasileira está politizada. Chegamos em um momento decisivo depois de anos em um cativeiro que parecia não ter fim."

Teve. Finalmente, já é possível gastar R$ 157 mil para tratar bruxismo e ainda acusar os adversários de imorais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo