Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Com ar no estômago após cirurgia, Bolsonaro volta a se alimentar pela veia

Reinaldo Azevedo

11/09/2019 13h56

O presidente Jair Bolsonaro teve a dieta líquida cortada e voltou a se alimentar por meio endovenoso na noite desta terça (10), dois dias depois de se submeter a uma cirurgia para correção de uma hérnia que surgiu na região do abdômen.

A volta à alimentação pelas veias aconteceu devido à dificuldade de retorno à movimentação intestinal, principalmente por causa da alta quantidade de ar em seu estômago e intestino. Também na noite de terça, foi introduzida uma sonda que vai do nariz ao estômago de Bolsonaro, para que o ar seja expelido.

O quadro do presidente, segundo boletim médico assinado pelo cirurgião Antonio Macedo, é estável. Ele continua sem febre, dor ou disfunções orgânicas. Os exames laboratoriais são considerados bons.

"A reintrodução da alimentação por via oral será avaliada diariamente e ocorrerá no momento oportuno", diz o boletim.

O problema que levou ao corte da alimentação líquida, chamado "íleo paralítico" (quando o intestino para de funcionar normalmente, de modo temporário), não é incomum em pacientes que se submeteram a cirurgias de média e alta complexidade.

O próprio Bolsonaro teve o mesmo problema ao ser operado após levar uma facada, em setembro do ano passado, e quando retirou a bolsa de colostomia, em 28 de janeiro.

Por enquanto, não há previsão de mudança na data prevista de alta —provavelmente, no domingo (15)— ou para que ele retorne ao cargo de presidente, despachando de dentro do hospital —na sexta (13).(…)

Na Folha.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo