Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

Escolhido para Receita é bom; terá de combater fungo “Lavajatus cordyceps”

Reinaldo Azevedo

20/09/2019 17h04

Tostes Neto, indicado para a Receitas, e um besouro tomado pelo fungo Cordyceps. Isso que vocês veem não são antenas. É o fungo. O besouro já está morto. O parasita lhe ficou nas entranhas até chegar a hora de matar o hospedeiro. Na administração pública, existe o "Lavajatus cordyceps"

Todas as pessoas com as quais conversei e que conhecem a fundo o trabalho da Receita Federal e seus quadros técnicos, aposentados ou não, dizem que José Barroso Tostes Neto é qualificado para o cargo de secretário do órgão.

Tanto melhor.

A função tem caráter técnico, sim, mas é evidente que também pode estar sujeita à orientação política virtuosa.

A orientação política virtuosa é de direita, de esquerda ou de centro?

Não importa. Ela obedece às escolhas dos governantes.

O que quer Paulo Guedes — ou, para ir ao ponto, Jair Bolsonaro, que deve ser feito dentro dos marcos legais ou que passa pela mudança de tais marcos?

Inaceitável é que se transforme a Receita num órgão de caráter politiqueiro, a serviço de grupos de pressão — seja a Lava Jato, seja qualquer outro.

De saída, recomendo a Tostes Neto que seja um secretário quase mudo, que não fale, não especule em voz alta, não participe dos chamados grupos de fofoca — sobretudo os de mercado.

A Receita que faça o que a lei lhe permite fazer. Se o ministro encomendar estudos disso e daquilo, que sejam mantidos em sigilo até que se transformem em propostas.

E, claro!, que dê curso ao desaparelhamento do órgão, que tem importância central na República.

A Receita é um dos entes que foram tomados pelo "Lavajatus cordyceps", uma variante, na esfera da administração pública, de um fungo que atinge insetos e artrópodes e leva o hospedeiro a agir apenas no interesse do parasita. Pesquisem.

Na natureza, o Cordyceps se desenvolve nas entranhas do hospedeiro até lhe tomar o cérebro. É quando este morre. E de seu corpo brotam como que antenas, em cujas extremidades estão os esporos, que então se espalham para fazer novas vítimas.

A Receita ainda está tomada de "Lavajatus cordyceps", sim! Na natureza, nada há a fazer. O destino do hospedeiro é a morte. Na administração pública, há saída. Basta seguir as regras do jogo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo