Topo

Contra satanás, Deus dá golpe na Bolívia; já mandou sete para o Paraíso!!!

Reinaldo Azevedo

14/11/2019 06h55

Militar ajeita faixa presidencial no ombro da usurpadora Jeanine Añez (Reprodução: Twitter)

O fato de Evo Morales ter dado golpes óbvios na Constituição que ele próprio promoveu não elimina o caráter golpista da sua deposição. Não que faltassem as evidências. Afinal, as Forças Armadas e a Polícia haviam dito ao então presidente: "Renuncie…" Restava-lhe o quê? Mas, vá lá, alguém poderia ainda ter alguma dúvida. Agora não mais.

A senadora Jeanine Añez se autoproclamou presidente — é uma nova tendência na América Latina… Não havia quórum nem na Câmara nem no Senado. Mas ela está, por enquanto ao menos, com o Partido Militar. É a face legalmente loura de um golpe.

Añez entrou na sede do governo, depois de dar posse a si mesma, brandindo uma Bíblia e dizendo que Deus estava de volta ao poder. Na cerimônia em que empossou novos comandantes das Forças Armadas, a Bíblia estava presente de novo, entre duas velas acesas. O Livro, se bem se lembram, também foi usado pelo miliciano Luis Fernando Camacho, que invadiu o palácio e rezou, de joelhos, evocando o Altíssimo.

Parece, em suma, que foi Deus quem liderou o golpe no país.

Em 14 de abril de 2013, informa a Folha, esta adorável senhora escreveu no Twitter: "Sonho com uma Bolívia livre de ritos satânicos indígenas, a cidade não é para os índios, que saiam daqui para os Andes ou para o chaco [região boliviana]". Em outra mensagem, associou o Ano Novo aymara a satanás.

Até agora, Deus, o comandante do golpe, já matou sete pessoas no país. Sabem como é… Quando o Senhor está nervoso, é bom não resistir à vontade dos fardados.

Quando se está com o Partido Militar, depor um governo é relativamente fácil. O difícil, depois, é governar.

Repita-se: Evo desrespeitou a Constituição reiteradas vezes e é um dos responsáveis pelo caos no país. Os militantes do MAS (Movimento ao Socialismo) não são exatamente pombas da paz. Mas é inegável que a deposição se deu num arranjo entre militares e uma elite local racista e fascistoide. O tal Camacho é um miliciano de extrema-direita. Pertence a uma família milionária de Santa Cruz de La Sierra que conseguiu aumentar a sua fortuna nos anos Evo.

Vamos ver quando serão marcadas as eleições. Añez afirmou que o pleito se dará "o mais rápido possível". Não diz muita coisa. E se um partidário do MAS vencer a disputa? Toma posse ou será convidado, de novo, a renunciar?

Demonstrando que não aceitam ditadura, os que depuseram Evo entronizaram um fantoche que não foi eleito por ninguém.

Paga-se o preço em corpos.

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Reinaldo Azevedo