PUBLICIDADE
Topo

Aprofunda-se cisão ao avaliar governo entre os mais pobres e os mais ricos

Reinaldo Azevedo

09/12/2019 07h28

A economia melhorou um tiquinho, é verdade. Mas a cisão entre os mais pobres e os mais ricos no que respeita à avaliação do governo se aprofunda. Em abril, 26% dos que ganham até dois salários mínimos diziam que o governo Bolsonaro era ótimo ou bom: agora, só 22%. Já entre os que ganham mais de 10, o índice aumentou de 40% para 43%. Há oito meses, 34% dos que estavam na base da pirâmide salarial diziam ser o governo ruim ou péssimo: hoje, são 43%. Entre os mais ricos, a avaliação negativa caiu de 37% para 28%.

Ou por outra: o saldo a favor do governo Bolsonaro entre os mais ricos era de quatro pontos há oito meses; agora, é de 14. O saldo negativo entre os mais pobres era de oito pontos em abril; neste dezembro, saltou para 21. Acham que o governo é ótimo ou bom 35% dos que recebem de dois a cinco salários — em abril, 36%. Nesse grupo, veem o governo como ruim ou péssimo 31% (ante 25% em abril).

Na faixa de cinco a 10 mínimos, há uma quase estabilidade: a gestão era ótima ou boa para 43% há oito meses: segue tudo na mesma: 44% agora. Nesse grupo, viam o governo como ruim ou péssimo 28%; desta feita, 31%. O conjunto é preocupante para o Planalto? É claro que sim!

Quase metade da população — 44% — tem renda mensal até dois mínimos. É justamente o grupo em que a avaliação do governo se deteriora.  Outros 40% recebem entre dois e cinco mínimos. Eis aí, convenham, a turma a merecer especial atenção de governo e oposição.

A parcela dos que recebem de 5 a 10 mínimos já despenca: apenas 9% da população. E somam apenas 3% os que recebem mais de 10 mínimos. Com alguma frequência, convenham, nós nos esquecemos da iniquidade da renda no Brasil.

Por enquanto, Bolsonaro captura uma parcela dos pobres não com iogurte, mas com reacionarismo religioso e de costumes. Vai demorar até que possa lhes acenar com alguma coisa em economia. Se é que vai. Pergunta: o que têm as lhes dizer as oposições? E aquele tal centro?

 

Leia também mais análise do Datafolha no blog:

Nova Previdência e Lula Livre não interferem em avaliação sobre o governo

A economia nem inviabilizará nem salvará Bolsonaro. O que fará a diferença?

 

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM.

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Reinaldo Azevedo