PUBLICIDADE
Topo

Moralismo estridente: a babá de R$ 10,7 mil do gabinete de Carlos Bolsonaro

Reinaldo Azevedo

05/08/2019 06h37

A "Wal do Açaí", coitada!, acabou ficando famosa, mas convenham: ela era só o exemplo mais modesto de um modus operandi da Família Bolsonaro. Como se sabe, a mulher constava como funcionária do então deputado Jair, mas mora na pequena Vila Histórica de Mambucaba, em Angra dos Reis, onde o agora presidente tem uma casa de veraneio. Ela e o marido prestavam serviços nessa propriedade.

Walderice Santos da Conceição aparecia como assessora do gabinete do deputado em Brasília, mas não dava as caras por lá. Além de fazer faxina na casa de veraneio do patriarca do bolsonarismo, tocava —suponho que toque ainda — a lojinha "Wal Açaí".

Ocorre que, quando se tenta saber que diabos faziam alguns dos parentes e agregados do pai e dos filhos, a tarefa se mostra impossível.

Leiam o que informa "O Globo":
Entre os funcionários com relação de parentesco identificados pelo GLOBO no gabinete de Carlos estão Diva da Cruz Martins e a filha Andrea. A primeira esteve lotada entre fevereiro de 2003 e agosto de 2005 e a segunda, de 2005 até fevereiro deste ano. Em novembro de 2013, no entanto, quando Andrea deu entrada nos papéis de seu casamento no cartório de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, ela identificou-se como "babá".

Já Diva, ao ser questionada pelo GLOBO se tinha trabalhado na Câmara, negou: "Não. Nunca." Ao ser informada que seu nome constava entre os assessores, reagiu com ironia: "Que bom que aparece (o nome)", finalizou, entrando em casa. O salário bruto médio real de Diva no período foi de R$ 9 mil, e o de Andrea, R$ 10,7 mil.

Exceção? Não! Continuemos no gabinete de Carlos, o mais estridente dos filhos do presidente, aquele que se comporta como um severo professor de Educação Moral e Cívica e que vive nas redes sociais a acusar o petismo de assaltar o Brasil. Leiam:

O gabinete de Carlos Bolsonaro na Câmara de Vereadores também abriga um militar de confiança que teve parte da família empregada. Desde 2001, o sargento da reserva do Exército Edir Barbosa Góes conseguiu cargos para a esposa Neula, a irmã Nadir e os dois filhos, Rodrigo e Rafael.

O GLOBO falou com Rafael, que é nutricionista, e questionou se havia trabalhado na Câmara Municipal. Ele disse que "não". Dias depois, confrontado outra vez com a informação, disse que "estava na correria" e mandou a reportagem falar com o atual chefe de gabinete, Jorge Fernandes. Procurado na última quarta-feira, Fernandes não deu retorno. O salário bruto médio real de Rafael no período da Câmara foi de R$ 6,7 mil.

Em abril, o jornal "Folha de S. Paulo" já havia revelado que Nadir, mesmo nomeada no gabinete de Carlos entre 2008 e janeiro deste ano, disse que jamais trabalhara para o vereador.

Wal ganhava pouco mais de R$ 1,3 mil. Vão se acumulando os funcionários com altos salários e que nunca deram as caras no gabinete. Mais uma vez, Carlos aparece dando a sua contribuição a esse modo notável de tentar mudar o Estado brasileiro, posto em prática pelos Bolsonaros. Agora, em parceria com o pai:

Uma das funcionárias mais antigas do gabinete de Carlos não é conhecida no local de trabalho. Nomeada no dia 1º de abril de 2001, Regina Célia Sobral Fernandes, mulher de Jorge Luiz Fernandes, chefe de gabinete do vereador, foi procurada por O GLOBO na Câmara. Um funcionário afirmou não conhecer nenhuma Regina que trabalhasse no local. Procurada diretamente pelo telefone, ela se esquivou dos questionamentos duas vezes e encerrou a ligação. O salário bruto médio real dela desde 2001 é de R$ 7,4 mil.

Antes de ser nomeado no gabinete de Carlos, o marido de Regina trabalhava como assessor de Jair Bolsonaro, em Brasília. No gabinete do então deputado federal, o atual chefe de gabinete de Carlos foi nomeado junto com outros dois familiares: o cunhado, Carlos Alberto Sobral Fernandes (de 1995 a 1997) e a ex-cunhada Maria Janice Andrade Franco, que ficou lotada de 1991 até setembro de 2000.

Mas, claro!, ninguém tem o direito de estranhar, não é? Afinal, essas notícias só vêm a público porque existe uma grande conspiração de esquerdistas, associada ao Foro de São Paulo e àqueles que insistem em afirmar que a Terra é redonda, para desestabilizar o governo do "Mito".
Leia mais aqui

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, que publicou aqui o primeiro post no dia 24 de junho de 2006, é colunista da Folha e âncora do programa “O É da Coisa”, na BandNews FM.

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Reinaldo Azevedo