Topo
Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

ILEGAL E IMORAL 4: Leia as perguntas enviadas a Thamea, Deltan e Carvalhosa

Reinaldo Azevedo

16/09/2019 19h04

Deltan Dallagnol: ele se dispôs a revisar pedido de impeachment redigido por colega em nome de advogado. Foto: Fernando Frazão, Agência Brasil

Seguem as perguntas enviadas aos procuradores Thaméa Danelon e Deltan Dallagnol e ao advogado Modesto Carvalhosa:

PARA THAMÉA DANELON
a: A senhora redigiu para o advogado Modesto Carvalhosa, como anunciou que faria em conversa com Deltan Dallagnol pelo Telegram, a arguição de impeachment de Gilmar Mendes?

b: A senhora disse em conversa com Dallagnol que redigiria a arguição e submeteria ao próprio Dallagnol. A senhora fez isso?

c: A senhora considera ético uma procuradora da República redigir uma arguição de impeachment de um ministro do Supremo para um advogado?

d: A senhora sabe, porque é público, que Modesto Carvalhosa é advogado de acionistas minoritários da Petrobras que têm demandas contra a empresa. A senhora não teme que redigir uma petição para alguém nessas circunstâncias possa ser caracterizado como crime?

PARA DELTAN DALLAGNOL
a: A procuradora Thaméa Danelon, do MPF em São Paulo, combinou com o advogado Modesto Carvalhosa que redigiria a arguição de impeachment do ministro Gilmar Mendes, como ela revelou ao senhor pelo Telegram. O sr. se dispôs a revisar o texto. O senhor fez a revisão?

b: O sr. considera ético uma procuradora redigir uma arguição de impeachment para um advogado? O sr. considera ético fazer a revisão do texto?

c: O sr. sabe, porque é público, que Modesto Carvalhosa é advogado de acionistas minoritários da Petrobras que têm demandas contra a empresa.  O sr. não teme que redigir e supervisionar uma petição para alguém nessas circunstâncias, sendo duas pessoas com funções públicas, possam ser atos caracterizados como crimes?"

PARA MODESTO CARVALHOSA
a: Em conversa com Deltan Dallagnol pelo Telegram, a procuradora Thamea Danelon afirmou ter combinado com o sr. que ela redigiria a arguição do impeachment do ministro Gilmar Mendes e que Dallagnol revisaria. Foi ela quem redigiu a denúncia que o sr. apresentou ao Senado?

b: o senhor considera ético que procuradores da República redijam e revisem uma petição de impeachment apresentada por um advogado?

c:  É público que o sr. é advogado de acionistas minoritários da Petrobras que têm demandas contra a empresa.  O sr. não avalia que os procuradores cometeram crimes ao se associar ao senhor nessa empreitada? O sr. acha que outros advogados devem seguir o seu exemplo?

Leia também:

ILEGAL E IMORAL 1: Cotada por Aras tramou com advogado contra membro do STF

ILEGAL E IMORAL 2: Envolvidos não comentam "material de origem criminosa"

ILEGAL E IMORAL 3: Escritório de advogado atua para acionistas da Petrobras 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Reinaldo Azevedo, jornalista, é colunista da Folha e âncora do programa "O É da Coisa", na BandNews FM. É autor de "Contra o Consenso", "O País dos Petralhas I e II", "Máximas de um País Mínimo" e "Objeções de um Rotweiler Amoroso".

Sobre o blog

O "Blog do Reinaldo Azevedo" trata principalmente de política; envereda, quando necessário — e frequentemente é necessário —, pela economia e por temas que dizem respeito à cultura e aos costumes. É uma das páginas pessoais mais longevas do país: vai completar 13 anos no dia 24 de junho.

Mais Reinaldo Azevedo